socó-dorminhoco e martim-pescador-verde

Aves do Lago do Taboão, Bragança Paulista – SP

O Lago do Taboão, logo na entrada de Bragança Paulista, é uma boa opção para quem está começando a observar aves. Vou lá com frequência para caminhar e correr e sempre aproveito para passarinhar um pouco. No último ano registrei 61 espécies de aves (a lista completa está no Táxeus). Nada mal considerando o tamanho da área e a grande quantidade de pessoas que a utilizam, principalmente nos finais de semana.

lago-do-taboao-braganca-paulista-sp

Lago do Taboão, cartão-postal de Bragança Paulista

As garças são as aves que chamam mais a atenção. Grandes e delicadas, todo mundo repara nelas. Quase sempre há uma garça-branca-grande pescando no meio do lago. Ela é solitária por natureza, não estranhe se ver apenas uma. Às vezes a garça-branca-pequena também está lá. As duas espécies são bastante parecidas, mas a segunda é menor e tem o bico preto e os pés amarelos.

Garça-branca-grande (Ardea alba)

Garça-branca-grande (Ardea alba)

O socozinho, que pertence à família das garças, é outra ave bastante comum no Lago do Taboão. Ele pesca em águas rasas, quando fica praticamente imóvel. Seus movimentos lembram um gato caçando. O socó-dorminhoco (ave que aparece na foto de capa deste post) é parecido com o socozinho, mas é maior e tem os olhos vermelhos.

socozinho

Socozinho (Butorides striata)

Outro grande interessado em peixes é o martim-pescador-verde. Ele não permite que as pessoas se aproximem muito, sempre voa para longe quando chegamos perto. Esse aí da foto abaixo é uma fêmea. O macho tem o peito laranja bem destacado.

martim-pescsdor-verde-braganca-paulista

Martim-pescador-verde (Chloroceryle amazona), fêmea.

Um casal de corujas-buraqueiras mora ali há muito tempo. Elas estão bastante acostumadas com as pessoas, embora não gostem muito dos cachorros. Muita gente faz uma parada para observá-las em seu poleiro preferido. É fácil encontrar o poste de luz que essas corujas adotaram como delas: é o mais sujo de cocô!

coruja buraqueira

Coruja-buraqueira (Athene cunicularia)

O mais interessante de visitar sempre o mesmo lugar é acompanhar as mudanças na paisagem. No final de Agosto chegam as tesourinhas, após uma longa migração. Em Setembro, início da primavera, muitas aves começam a construir seus ninhos. Os mais fáceis de encontrar são os ninhos das lavadeiras-mascaradas, sempre próximos da água. Em Outubro costumo ouvir os primeiros “soluços” que denunciam os bem-te-vis-rajados, outra ave migratória. Em Dezembro é a vez dos bigodinhos aparecerem.

bigodinho macho

Bigodinho (Sporophila lineola)

Perto do outono as espécies migratórias vão embora, ficam as residentes. E o ciclo se repete.

Para conhecer mais aves que podem ser encontradas em Bragança Paulista, visite a galeria de fotos!