curso introdução ao estudo das aves

Curso de ornitologia em São José do Rio Pardo – SP

Este fim de semana tive a oportunidade de conhecer uma cidade muito simpática: São José do Rio Pardo (SP). Lá, em uma pequena ilha bem no meio do rio Pardo, existe um mini-zoológico. O lugar exibe animais nativos (como a ema, o papagaio-verdadeiro e a jaguatirica, entre outros) e também serve de casa para muitas aves em vida livre.

Foi lá que o Instituto Sul Mineiro de Estudo e Preservação da Natureza organizou o mini-curso “Introdução ao estudo das aves: biologia, ecologia e técnicas de estudo“. Fiquei muito feliz pelo convite para ministrá-lo. E fiquei ainda mais feliz ao saber que tanta gente veio de longe para participar!

mini-curso de ornitologia

Prática de observação de aves: procurando o teque-teque (Todirostrum poliocephalum) que estava escondido em meio aos arbustos.

Começamos cedinho, sete horas da manhã. Já no estacionamento um coró-coró procurava pequenos invertebrados entre as folhas caídas. Ao atravessar a ponte pênsil que dá acesso à ilha, avistamos um grande bando que garças descansando nas árvores próximas: garças-vaqueiras, garças-brancas-grandesgarças-brancas-pequenas e socós-dorminhocos. Do outro lado da ilha, as andorinhas-do-rio começavam a aparecer, enquanto um macho de biguatinga tomava sol com as asas abertas, no alto de uma árvore.

garça branca pequena

Garça-branca-pequena (Egretta thula). Esta foto tirei no dia anterior ao curso, quando fui conhecer a Ilha de São Pedro.

Logo em frente ao centro de educação ambiental um casal de curutiés estava ocupadíssimo na construção do ninho. Pertinho, o viveiro dos psitacídeos atraia várias espécies em vida livre, como a jandaia-de-testa-vermelha e muitos tucanos. Vimos um tucano bem jovem, com o bico ainda curto e amarelado.

Certhiaxis cinnamomeus

Curutié (Certhiaxis cinnamomeus)

Bigodinhos e coleirinhos cantavam sem parar. Do alto das árvores ouvimos o canto inconfundível do risadinha. O bico-chato-de-orelha-preta e o alegrinho também estavam lá. Mais tarde encontramos o bico-de-prata (também conhecido como pipira-vermelha ou bico-de-louça), a belíssima saíra-ferrugem e uma fêmea de balança-rabo-de-máscara. Ao todo observamos 43 espécies de aves, que estão listadas no táxeus.

mini-curso de ornitologia

Explicando a organização das penas da asa…

O curso também teve bastante teoria. Pela manhã falei um pouquinho da história da ornitologia e sobre anatomia das aves. Depois do almoço discutimos os vários campos de atuação dos ornitólogos e as técnicas de pesquisa que podem ser utilizadas, dependendo dos objetivos da pesquisa: levantamento de avifauna, captura, anilhamento, estudos de parasitologia, de comportamento, dispersão de sementes, bioacústica… Para fechar, uma palestra bem rápida sobre estratégias reprodutivas. Ufa! E isso tudo em um só dia!

O objetivo do curso era fazer uma introdução ao estudo das aves, passar uma ideia geral do que um ornitólogo pode fazer. Quem se animou pode dar uma olhada nesta sugestão de bibliografia e também procurar um lugar para fazer um estágio em ornitologia.

Thamnophilus doliatus

Choca-barrada (Thamnophilus doliatus), fêmea.

Lepidocolaptes angustirostris

Arapaçu-do-cerrado (Lepidocolaptes angustirostris)

Chloroceryle-americana_Sao_jose-do-Rio-Pardo_23-01-15

Martim-pescador-pequeno (Chloroceryle americana), macho.

Adorei a cidade e conheci tanta gente boa! Também gostei muito de conhecer a ilha, encontrei mais aves do que estava esperando. Como cheguei um dia antes, passarinhei um pouco e encontrei algumas espécies que não vimos no curso (como a choca-barrada, o arapaçu-do-cerrado e o martim-pescador das fotos acima). Quem tiver curiosidade, a lista com todas as aves que observei em São José do Rio Pardo, neste fim de semana, está aqui.