João Pessoa - PB

Passarinhando em João Pessoa, PB

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

 

Estive em João Pessoa no mês de Julho, para participar do 28º Congresso Brasileiro de Anatomia. Não tive muito tempo pra turistar, mas entre uma palestra e outra consegui dar um pulo no Jardim Botânico Benjamim Maranhão e no Parque Zoobotânico Arruda Câmara.

Também conhecido como Mata do Buraquinho, o jardim botânico de João Pessoa fica bem no meio da cidade e é muito grande, com mais de 500 hectares. Eu estava bastante animada para conhecê-lo! Entrei em contato previamente e me informaram que o acesso às trilhas somente é feito com o acompanhamento de monitores, mas que haviam visitas monitoradas de terça à sexta, em alguns horários pré-definidos. Cheguei no local a tempo de participar de uma dessas visitas mas, naquele dia, nenhuma monitoria foi realizada. Sem muitas explicações, nem eu nem outros visitantes (incluindo alguns turistas estrangeiros) pode conhecer a mata. Foi um balde de água fria…

andorinha-serradora

Andorinha-serradora (Stelgidopteryx ruficollis)

Fiquei perambulando pela pequena área do jardim botânico que é aberta a visitação e consegui observar algumas aves ali. Destaque para a grande quantidade de andorinhas-serradoras que estavam empoleiradas em uma árvore baixa, ao lado do laguinho. Também haviam muitos urubus-de-cabeça-vermelha no céu. Infelizmente não tive outra oportunidade para voltar ao jardim botânico.

Parque Zoobotânico Arruda Câmara

Parque Zoobotânico Arruda Câmara

Muitas pessoas sugeriram que eu observasse aves no Parque Arruda Câmara, que é um zoológico entremeado a um fragmento florestal. A primeira vista pode parecer estranho observar aves em um zoológico, mas alguns zoos podem se revelar lugares muito interessantes para um birdwatcher. E não, não estou falando das aves em cativeiro! Quando morava em São Carlos, estive muitas vezes no Parque Ecológico Dr. Antônio Teixeira Vianna para passarinhar e fiz muitas fotos de aves em vida livre por lá.

cutia

Cutia, o animal (solto) mais fácil de ver no parque zoobotânico de João Pessoa

Era domingo e cheguei ao Parque Zoobotânico – que é conhecido pelos pessoenses como “A Bica” – assim que a bilheteria abriu, às 8 horas da manhã. A temperatura estava muito agradável, haviam poucos visitantes e consegui observar várias aves por lá (veja a lista completa aqui). Começando pelas lavadeiras-mascaradas, logo na entrada do parque. Esta simpática espécie ocorria apenas na região Nordeste, mas está ampliando sua distribuição em direção ao Sul do país, como consequência do desmatamento e urbanização.

lavadeira-mascarada

Lavadeira-mascarada (Fluvicola nengeta)

O parque estava em manutenção, com obras para todos os lados. Fiquei caminhando somente pelas trilhas no meio da mata e praticamente nem vi os recintos dos animais do zoo. A mata é bonita e cheia de vida, com muitos sabiás, sanhaços e beija-flores. O casal de ariramba-de-cauda-ruiva foi um show à parte. Tenho paixão por esta espécie!

ariramba-de-cauda-ruiva

Ariramba-de-cauda-ruiva (Galbula ruficauda). Fêmea à esquerda, macho à direita (repare na garganta branca).

Do outro lado do parque há um pequeno lago, acho que este é um dos melhores pontos para observar aves por lá. Havia um grande número de sanhaços-do-coqueiro e bentevizinhos-de-penacho-vermelho no alto das árvores, fazendo barulho e muita baderna.

sanhaço-do-coqueiro

Sanhaço-do-coqueiro (Tangara palmarum)

Desde que havia chegado em João Pessoa eu estava à procura de duas espécies que não ocorrem no estado de São Paulo e esperava poder ver por lá: o bico-chato-amarelo e o beija-flor-de-barriga-branca. Dito e feito, encontrei ambos ali pertinho do lago! O beija-flor não consegui fotografar, mas o outro permitiu um singelo registro. Ele estava iniciando a construção de um ninho pendurado, no mesmo estilo do ninho do ferreirinho-relógio, espécie que também apareceu por ali.

bico-chato-amarelo

Bico-chato-amarelo (Tolmomyias flaviventris)

No brejo encontrei muitas aves que gostam desta proximidade com a água: jaçanã, anu-preto, curutié, andorinha-do-rio, socozinho, saracura-três-potes e, claro, muitas lavadeiras-mascaradas. Fiquei feliz em rever o frango-d’água-azul, fazia tempos que não encontrava um!

frango-d`água-azul

Frango-d’água-azul (Porphyrio martinicus)